Etiqueta: Sócio-Caritativo

29 Fev 2024

Pedidos de ajuda de famílias à Cáritas Arquidiocesana de Évora aumentaram 30% em 2023 (com vídeo)

A Cáritas Portuguesa, constituída por vinte Cáritas Diocesanas, assinala de 25 de fevereiro e 3 de março, a sua Semana Nacional 2024, com o tema “Cáritas, O Amor que Transforma”.
 
A Cáritas Arquidiocesana de Évora, que integra a rede Cáritas de Portugal, é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) que apoia de forma transversal as comunidades da Arquidiocese de Évora. Tendo como missão ser um instrumento da Igreja na Arquidiocese para promover e defender a dignidade humana à imagem de Jesus Cristo.
 
Recentemente, a Cáritas Arquidiocesana de Évora conta um novo rosto na presidência da Direção, o Diácono Bernardino Melgão.
 
No âmbito da celebração desta Semana Cáritas, que é marcada pelo tradicional peditório de rua a nível nacional que decorre até domingo, 3 de março, a Esperança Multimédia (parceria entre o jornal “a defesa” e o Departamento de Comunicação da Arquidiocese de Évora) entrevistou em exclusivo o novo Presidente da Cáritas Arquidiocesana (1), que se fez acompanhar de Jorge Rodrigues (4), Coordenador do Serviço de Atendimento e Acompanhamento Social e colaborador da Cáritas há 20 anos, de Sílvia Torradinhas (3), Coordenadora do Serviço de Apoio Domiciliário e colaboradora da Cáritas há 15 anos, e de João Cachaço (1), Diretor Executivo da Cáritas Arquidiocesana desde setembro de 2022.
(Leia a reportagem na íntegra no Suplemento Ser Igreja Évora da edição de 28 de fevereiro de 2024 do jornal “a defesa”)
27 Fev 2024

Portugal: «Estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão» – Cáritas

A Cáritas Portuguesa lançou, neste dia 27 de fevereiro, um novo estudo sobre pobreza e exclusão social no país, alertando para as 500 mil pessoas que vivem em “privação material e social severa”, bem como as que ficam fora das estatísticas oficiais.

“As estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal. Como se baseiam em inquéritos junto das famílias, não captam as situações daqueles que não vivem em residências habituais”, alerta o documento intitulado ‘Pobreza e exclusão social em Portugal: uma visão da Cáritas’, enviado à Agência ECCLESIA.

O estudo é apresentado hoje, pelas 10h00, no Auditório Carvalho e Guerra da UCP, no Porto, em parceria com a Cáritas Diocesana do Porto e a Universidade Católica.

A organização católica alerta que, nos últimos anos, “houve apenas progressos ténues na luta contra a pobreza”, realçando, em particular, a pobreza infantil como “uma clara violação dos direitos humanos fundamentais”, com “um custo social e económico muito elevado”.

“Em Portugal são ainda muitas as famílias marcadas pela pobreza e exclusão social. Esta assume múltiplas facetas e tem uma natureza eminentemente estrutural. Este primeiro relatório anual da Cáritas enfatizou a situação das famílias que acumulam inúmeras privações, de caráter monetário e não monetário”, indicam as conclusões do estudo.

São mais de 500 mil as pessoas que vivem em privação material e social severa em Portugal. De acordo com as estatísticas oficiais, são particularmente afetadas as famílias com mais baixos níveis de escolaridade, com menor participação no mercado de trabalho, as famílias monoparentais, as que incluem pessoas com deficiência, e as famílias imigrantes”.

O documento indica que as maiores taxas de privação material e social severa são registadas nos desempregados (18,4%) e nos outros inativos (8,2%).

“A participação no mercado de trabalho mitiga, mas não elimina a probabilidade de viver numa situação de pobreza. A mesma conclusão é válida para a privação material e social, mesmo na sua variante mais severa”, pode ler-se.

Relativamente à educação, entre os indivíduos (com mais de 16 anos) com o ensino superior completo, “apenas 0,7% vivia numa situação de privação material e social severa”, percentagem que sobre 8,8% nos indivíduos com escolaridade até ao 9.º ano.

“No que toca à composição da família, sobressai a maior vulnerabilidade das famílias monoparentais, que registam uma taxa de privação material e social severa de 12,6%”, acrescenta o documento.

A Cáritas Portuguesa considera que a quebra do “ciclo intergeracional de transmissão da pobreza e exclusão social” deve ser “um eixo prioritário das políticas públicas”.

“Em Portugal, estamos ainda longe de criar estruturas de pré-distribuição e políticas de redistribuição comparáveis às melhores práticas a nível europeu”, lamenta a instituição.

O estudo é divulgado no âmbito da Semana Nacional da Cáritas, que decorre até domingo, com o tema ‘Cáritas, O Amor que Transforma’ e o objetivo de dar “cara” ao problema da pobreza.

Abordando a Estratégia Nacional de Combate à Pobreza 2021-30, a organização católica sustenta que a mesma “requer um impulso adicional, ancorado num maior investimento público e numa colaboração reforçada entre todos os agentes”.

Esta primeira edição do relatório anual sobre a pobreza e exclusão social da Cáritas procurou “fazer uma leitura da realidade centrada nos mais pobres, a partir dos dados oficiais disponíveis”.

Os mais vulneráveis entre os vulneráveis não têm voz no debate público e não contam nas estatísticas oficiais da pobreza. A situação das pessoas sem-abrigo ou dos migrantes a viver em situação precária são exemplos paradigmáticos”.

Em relação a 2023, o estudo aponta para o aumento da proporção da população com incapacidade de manter a casa aquecida (+3,3 pontos percentuais), com incapacidade de encontrar amigos/familiares para uma refeição (+1,6 pontos percentuais), com incapacidade para assegurar o pagamento imediato de uma despesa inesperada (+0,6 pontos percentuais) e com incapacidade em gastar semanalmente uma quantia consigo (+0,6 pontos percentuais).

“Apesar do aumento dos rendimentos do conjunto da população, persistem segmentos de grande vulnerabilidade, muitos deles de natureza absoluta”, realça o documento.

O estudo recorda a subida das taxas de juro em 2023, indicando que “o acesso a uma habitação condigna permanece assim um desafio central na promoção da qualidade de vida das famílias em Portugal”.

A rede da Cáritas dá resposta a mais de 120 mil atendimentos e desenvolve um trabalho alargado de proximidade através da implementação de respostas sociais que alcançam todas a áreas de vulnerabilidade da pessoa.

OC – Agência ECCLESIA

27 Jan 2024

Misericórdia de Borba inicia comemorações dos 500 anos (com fotos)

A Santa Casa da Misericórdia de Borba iniciou, este sábado, dia 27 de janeiro, as comemorações dos seus 500 anos, com uma sessão solene, às 15:00, no Auditório do Pavilhão Multiusos da Aldeia Social, na qual marcou presença o Arcebispo de Évora, D. Francisco José Senra Coelho.
O programa de abertura das comemorações incluiu ainda uma arruada pelas ruas da cidade, com o grupo Bomb´Além, de Elvas, e, no auditório, com um concerto dos Saint Dominic´s Gospel Choir.
As celebrações do 500.º aniversário da Santa Casa da Misericórdia de Borba vão decorrer ao longo deste ano, incluindo várias iniciativas.
19 Jan 2024

Festa Solidária a favor do Centro Social Nossa Senhora Auxiliadora

Cerca de 300 pessoas participaram na Festa Solidária que decorreu na noite de 12 de janeiro, no Auditório da Escola dos Salesianos de Évora, a favor do Centro Social Nossa Senhora Auxiliadora.

No início da Festa, o P. António Gomes, Presidente da Direção do Centro Social, agradeceu a presença de todos, tendo feito uma breve resenha histórica desta obra social, que atualmente dá respostas sociais nas valências de Apoio Domiciliário, Centro de Dia e Lar. Perante os tempos difíceis que as Instituições Sociais atravessam, o Centro Social Nossa Senhora Auxiliadora não baixa os braços e dinamiza diversas atividades como esta Festa solidária para angariar fundos para continuar a dar as respostas sociais que dá diariamente.

Depois, pelo palco do auditório da Escola Salesiana, durante cerca de três horas o público solidário foi brindado com as atuações brilhantes dos artistas solidários: Sónia Charrua e alunos salesianos; Sónia Mendes e Paula Garcia (MusiCentro); Escola de Música da Universidade de Évora; Ricardo Pencas – Sevilhanas; Grupo Académico Seistetos; Gisélia Silva; e Ana Velez e Nuno Florindo. As atuações foram intercaladas por vídeos com os utentes do Centro Social de Nossa Nossa Auxiliadora, que desta forma agradeceram a solidariedade de todos.

21 Dez 2023

Festa de Natal da Fundação UNITATE

A Fundação UNITATE– Associação de Desenvolvimento da Economia Social, começou no dia 20 de dezembro a promover encontros de Natal com o objetivo de envolver os utentes, os seus profissionais e a comunidade local.

Numa nota enviada à comunicação social, a Associação de Desenvolvimento da Economia Social – IPSS de âmbito nacional, destaca os dias 20 e 22 de dezembro, do programa comemorativo.

Na quarta-feira, dia 20 de dezembro, realizou-se a Festa de Natal da Fundação UNITATE. O Arcebispo de Évora, D. Francisco Senra Coelho, presidiu à Eucaristia às 12h00,  seguindo-se o almoço de convívio, “aberto a utentes de todas as respostas sociais, famílias e profissionais da instituição”, e atividades de animação e celebração.

A Associação de Desenvolvimento da Economia Social vai realizar também o Concerto de Natal 2023, “outro momento significativo da semana”, em Vila Viçosa, no Santuário Nacional da Padroeira de Portugal; no dia 22 de dezembro, às 21h00, é aberto ao público e de entrada livre.

A Fundação Unitate realça que estes eventos realizados no âmbito das celebrações do Natal, com o objetivo de envolver os utentes, os seus profissionais e a comunidade local, refletem o seu “compromisso contínuo em promover o bem-estar dos seus utentes e fortalecer os laços”.

A UNITATE – Associação de Desenvolvimento da Economia Social é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), de âmbito nacional, fundada em outubro de 2013, inspirada nos princípios da Doutrina Social da Igreja, cujo principal objetivo passa pela promoção do desenvolvimento da Economia Social mediante a prossecução de atividades e ações com vista à capacitação das instituições sociais.

24 Nov 2023

Campanha de Natal “10 milhões de Estrelas”: Arcebispo de Évora apela ao empenho das Comunidades Eclesiais da Arquidiocese

O dia 19 de novembro foi a data, simbolicamente, escolhida para o lançamento da campanha de Natal ‘10 Milhões de Estrelas, Um Gesto Pela Paz’,  dinamizada pela Cáritas Portuguesa, a decorrer até ao dia 1 de janeiro de 2024.
A iniciativa, que nasceu em França, em 1984, tem como objetivos “sensibilizar para os valores da paz como vivência cristã do Natal e reforçar a ação da Cáritas a de apoio nacional e internacional”.
O Arcebispo de Évora, D. Francisco Senra Coelho, apela ao empenho de todas as comunidades Eclesiais da Arquidiocese na campanha de Natal “10 milhões de Estrelas”.
24 Nov 2023

19 de novembro: Dia Mundial do Pobre foi celebrado na Arquidiocese de Évora

‘Não desvieis o olhar dos pobres’ (Tb 4,7) foi o lema da sétima edição do “Dia Mundial dos Pobres”, celebrada no domingo, dia 19 de novembro, data em que o Papa Francisco vai presidir a uma missa em comemoração do dia, almoçando depois com um grupo de pessoas necessitadas, no auditório Paulo VI, no Vaticano.
Na Mensagem para este dia, publicada no dia 13 de junho, Francisco advertiu que é “muito fácil cair na retórica quando se fala dos pobres”.
O Arcebispo de Évora, D. Francisco Senra Coelho, apelou à valorização do Dia Mundial dos Pobres em todas as comunidades eclesiais da Arquidiocese de Évora.
Neste sentido, as comunidades eclesiais responderam de forma positiva ao apelo do Prelado tendo realizado diversas iniciativas. Tivemos conhecimento que em Coruche e em Montemor-o-Novo, as comunidades fizeram recolha de bens alimentares que posteriormente serão distribuídos pelos mais carenciados.