Etiqueta: Leigos

23 Fev 2024

24 de Fevereiro’24: Encontro Sectorial da Pastoral da Saúde na Arquidiocese de Évora (com vídeo)

No dia  24 de fevereiro, em Portel, decorrerá o terceiro e último Encontro Sectorial da Pastoral da Saúde da Arquidiocese de Évora, que tem como tema: “Longevidade, Solidão e Esperança”.

O programa será: 10h, Oração da manhã; 10h15, Tema 1: “Saúde e Velhice”; 11h, intervalo; 11h15, Tema 2: “Longevidade: símbolo e oportunidade”; 12h, Eucaristia.

23 Fev 2024

27 de fevereiro, às 21h15, na igreja do Espírito Santo: Catequese Quaresmal

Como é tradição de Évora, sob a presidência do Arcebispo de Évora, na terça-feira, dia 27 de fevereiro, às 21h15, na igreja do Espírito Santo, decorrerá a primeira Catequese Quaresmal.

“Eucaristia e Sinodalidade” será o tema apresentado pelo P. Miguel Gonçalves Ferreira, s.j.

 

 

22 Fev 2024

Movimento dos Cursilhos de Cristandade: Jesus renova (também) as nossas vidas (com fotos)

Jesus tem o poder de renovar as nossas vidas!

E quem se encontra com Ele, como nós cursilhistas nos encontrámos um dia, na experiência de um Cursilho de Cristandade, sente-se salvo por Jesus, vive uma vida nova.
Jesus renova-nos até na alegria e na esperança!

Este espírito de renovação, em Jesus, vivem-no, também, os Centros de Ultreia de Reguengos de Monsaraz e de Portel, uma vez que viram empossados os novos secretariados.
No passado dia 2 de fevereiro, o Secretariado Arquidiocesano do MCC de Évora deu posse ao Secretariado do Centro de Ultreia de Reguengos de Monsaraz, que terá a seguinte composição: Diretor Espiritual – Pe. Manuel José Marques; Presidente – David Aleixo; Secretário – Natália Serafim; Tesoureiro – Joaquim Cebola; Vogal – Rui Flores; Responsável de Escola – Isabel Bico.

A 9 de fevereiro, foi a vez de ser empossado o Secretariado do Centro de Ultreia de Portel, que será composto pelos seguintes elementos: Diretor Espiritual – Pe. José Mombo Lelo; Presidente – Luísa Pardal; Secretário – Vera Zambujo; Tesoureiro: Carla Gonçalves; Vogal Pré-Cursilho – Francisco Relíquias; Vogal Pós-Cursilho – Maria da Conceição Albino; Responsável de Escola – José Paulino.

O Secretariado Arquidiocesano do MCC de Évora agradece a todos os novos elementos dos dois secretariados, lembrando a cada um em particular que, mesmo nos momentos adversos, Deus não Se cansa nem desiste de nós. Que cada um saiba acolher esta Quaresma, este tempo de conversão, porque será na coragem dessa conversão, que aprenderemos a caminhar, na certeza de que, em cada Páscoa, Jesus renova (também) as nossas vidas.

De Colores

 

22 Fev 2024

MTA-Centro de Elvas: Peregrinando por Santuários de Portugal (com fotos)

Todos os anos, por alturas do carnaval, o MTA-Centro de Elvas peregrina por santuários da Europa. Depois do êxito do ano passado em que decidimos caminhar por roteiros de místicos em Espanha, Toledo, Santa Beatriz da Silva, Segóvia, S. João da Cruz e Ávila, S. Teresa de Jesus, decidimos este ano rezar em locais portugueses que nos oferecem alguma espiritualidade. Cerca de 40 peregrinos da Família Teresiana de Elvas, assistidos espiritualmente pelo Padre Moisés Janela e pela Irmã Maria de Fátima Magalhães rezamos, refletimos e partilhamos a vida nestes locais de Oração:

1 – O primeiro local que visitamos foi o Santuário do Menino Jesus de Praga, em Avessadas, Marco de Canaveses. Fomos recebidos pelo Padre André, Padre Carmelita Descalço, que nos explicou toda a história deste santuário e da Imagem do Menino Jesus de Praga que lhe deu o nome. Embora esta imagem esteja relacionada com a da cidade de Praga, na República Checa, a devoção ao Menino Jesus chega-nos por Santa Teresa de Ávila que nas suas fundações levava sempre consigo uma imagem do Menino Jesus e incutia em todas as suas filhas à devoção ao Menino Jesus, “fonte de Amor e de ternura”.

No Santuário fizemos um pouco de silêncio e colocamos aos pés do Menino as nossas intenções pessoais e as de toda a Igreja pedindo sobretudo o dom da Paz para o mundo. Visitamos os jardins e a Quinta do Convento onde através de símbolos indicados no LIVRO DA VIDA de S. Teresa podemos compreender e refltir sobre os quatro graus de oração indicados pela Santa. Depois de um tempo de convívio com a Comunidade dos padres Carmelitas partimos para Ofir-Esposende para no dia seguinte seguir para outro local de peregrinação muito significativo atualmente.

2 – Balasar- Terra da Beata Alexandrina Maria da Costa

Outro local de Peregrinação, que visitamos e para o grupo de peregridos, totalmente desconhecido, foi a casa e paróquia da Beata Alexandrina, em Balazar, Póvoa de Varzim. Muito bem acolhidos por uma jovem leiga e por uma religiosa ouvimos toda a história de vida desta jovem que não nos deixou indiferentes e que depressa percebemos de que tudo o que nela aconteceu teve a mão do infinito Amor de Deus. Aos 14 anos para preservar a sua virgindade ameaçada, não hesitou em saltar por uma janela de quatro metros de altura e as consequeências foram muito graves, tendo Alexandrina lentamente perdido o andar até que ficou definitivamente paralítica aos 21 anos e assim permaneceu durante 30 anos até que faleceu aos 51 anos. Até 1928 não deixou de pedir a Deus, por intercessão de Nossa Senhora, a graça da cura, prometendo que se sarasse partiria para as missões. Depois, compreendeu que a sua vocação era o sofrimento. Abraçou-a prontamente. De tudo o que nos foi dito sobre Alexandrina chamou-nos a atenção os fenómenos místicos que Deus lhe concedeu: Participar na Paixão de Cristo, experimentando no seu corpo às sextas-feiras as dores que Jesus sentiu no caminho da Via Sacra até ao Calvário e Jejum total, sem comer nem beber durante 13 anos, alimentando-se apenas da Eucaristia. O seu amor a Jesus Eucarístico é tão profundo e tão intenso que a leva a exclamar: “Jesus, Ele é um prisioneiro no Tabernáculo e eu estou em minha cama por Tua vontade. Faremo-nos companhia os dois.” (Beata Alexandrina Maria da Costa)

Também pediu que, depois de partir para o Céu, o seu corpo ficasse colocado num local voltado para o sacrário para desde o Céu continuar a ver Jesus sacramentado no sacrário da terra. Visitando o seu túmulo numa capela ao lado da Igreja paroquial foi nos dito que era nessa posição que ela se encontrava. No seu túmulo, em forma de livro, está escrita esta mensagem: “Quanto mais Me honrardes, mais Eu vos favorecei”.

O que trouxemos de Balasar?
– A certeza de que o sofrimento é redentor e que unido ao de Cristo na cruz pode contribuir para a salvação do mundo. Quem aceita a própria dor com paciência e amor, sempre com “os olhos postos em Jesus” é missionário da misericórdia de Deus junto dos pecadores.
– A Eucaristia é alimento para o caminho e fonte que sacia a nossa sede ao caminhar. Quem vive da Eucaristia encontra Luz e fortaleza para caminhar servindo e amando repartindo o pão da própria vida para que “Outros tenham vida e a tenham em abundância”.

Neste ano de 2024 em que o nosso plano pastoral nos convida a “Reconstruir a Comunidade a partir da Eucaristia” com o compromisso de leigos e das novas gerações”, ter estado em Balasar na casa da Beata Alexandrina, participar na Eucaristia Dominical da Comunidade, visitar e rezar junto do seu túmulo, conhecer a sua história de sofrimento redentor e de profundo AMOR à EUCARISTIA, foi, para nós peregrinos de Balasar, uma bênção que nos fez voltar com um compromisso maior de participação na Eucaristia e na adoração a Jesus Sacramentado. Por isso, junto ao seu túmulo rezamos: “Beata Alexandrina grande devota de Eucaristia, e que te soubeste alimentar e viver apenas de Jesus, ajudai-nos a não perder a fé neste sacramento e amá-lo com todas as nossas forças assim como tu fizeste. Que a Eucaristia seja o sentido da nossa vida. Amém.”

3 – Santuário do Coração de Jesus no Monte de Santa Luzia em Viana do Castelo

Neste Santuário tivemos um tempo de oração silenciosa para colocar no Coração de Jesus as nossas intenções particulares e também a oração comunitária de Laudes da liturgia das horas. O nevoeiro e a chuva não nos deixaram ver a beleza natural da paisagem, mas a oração dissipou as nuvens interiores da nossa alma e fez-nos voltar com mais alegria e esperança para a nossa realidade alentejana

4 – Uma peregrinação ao ritmo da Fé, da Cultura e da Solidariedade

Para além de visitarmos e rezarmos nestes 3 santuários, a peregrinação foi ainda uma grande oportunidade de enriquecimento fraterno pelo convívio entre todos, e enriquecimento relacional pela partilha de saberes e histórias de vida. Foi ainda enriquecimento cultural pois visitamos lugares de muita história e beleza natural como a Catedral de Tui e Monte de S. Tecla em Espanha, as lindas cidades de Valência, Viana do Castelo, Barcelos, Esposende, etc.
No final da Viagem todos estávamos felizes e todos tínhamos motivos e razões para agradecermos e pensarmos em nova viagem para novo enriquecimento espiritual, cultural e fraterno.

Maria de Fátima Magalhães stj

 

17 Fev 2024

Igreja Matriz do Couço acolheu o Encontro dos Acólitos da Zona Pastoral Oeste (com fotos)

Na manhã deste dia 17 de fevereiro, entre as 9h30 e as 13h00, decorreu um Encontro dos Acólitos, na igreja matriz do Couço.

O Programa foi o seguinte: Oração da manhã; Formação (vida de São Tarcísio, Cortejo de entrada na Eucaristia, Incensação, identificação de alfaias litúrgicas, Quiz do acólito); Angelus; Almoço

 

 

 

17 Fev 2024

17 de fevereiro, em Alcácer do Sal: Curso de Formação para Catequistas

No dia 17 de fevereiro decorrerá uma nova sessão do Curso de Formação para Catequistas, em Alcácer do Sal, promovido pela Paróquia local.

O Programa do Curso de Iniciação para Catequistas conta com o seguintes módulos:
1 – Catequética – o que é a catequese; 2 – Perfil do catequista – quem é o catequista; 3 – Palavra de Deus – o que anuncia a catequese; 4 – Psicologia – a quem anuncia o catequista; 5 – Pedagogia – como anuncia o catequista.

Na primeira sessão, realizada a 20 de janeiro, foram abordados os primeiros três módulos, sendo que para o dia 17 de fevereiro, está agendada nova sessão deste Curso em Alcácer do Sal, na qual serão desenvolvidos os restantes módulos. O programa do dia 17 de fevereiro é o seguinte: 9h30 às 13h – Psicologia; 14h15 às 17h – Pedagogia; 15h – Palavra de Deus.

O Curso está aberto a todos os Catequistas da Arquidiocese. Os interessados em participar devem inscrever-se através do mail: paroquiasdealcacer@gmail.com

 

 

17 Fev 2024

Mensagem do Arcebispo de Évora para a Quaresma 2024 (com vídeo)

Ao Povo Santo de Deus, peregrino em terras do Alentejo e Ribatejo, da Arquidiocese de Évora; seus Presbíteros, Diáconos e Consagrados ao Serviço de Todos, a Paz esteja convosco!

1. A Quaresma que nos prepara para a Páscoa deste ano de 2024, desperta-nos para a necessidade de valorizarmos o nosso encontro pessoal e comunitário com a Misericórdia de Deus. Será a partir desta experiência que renovaremos e fortaleceremos a Paz e a Alegria dos nossos corações e consequentemente, o testemunho humanizado das Comunidades Cristãs em que caminhamos na Fé.

É este o propósito do nosso Ano Pastoral, “Revelar juntos um novo rosto de Comunidade”; para que o Espírito Santo nos molde e amadureça neste propósito de conversão pessoal e comunitário, rezamos e discernimos com a Palavra do Evangelho: «Por isso reconhecerão que sois meus discípulos: Se vos amardes uns aos outros como Eu vos amei» (Jo 13, 35). Como sabemos, a lei do amor fraterno não é uma novidade das catequeses de Jesus, porém Cristo dá-lhe um novo sentido e uma nova medida, assumindo-se Ele próprio como esse sentido novo e essa nova medida: “(…) como Eu vos amei”. O Seu Amor tem uma única medida, amar sem medida, por isso entrega a Sua vida pela redenção de todos; o Seu Amor tem um único sentido, revelar-nos a Misericórdia do Pai, pois o seu alimento é fazer a vontade do Seu Pai (Cf. Jo 4, 34).

O Mandamento Novo sugere a Nova Aliança. Lei e Aliança consideram-se duas noções paralelas, assim Jesus, ao dizer, “(…) Dou-vos”, actua não como simples intermediário de Deus, à maneira de Moisés e dos Profetas, mas com autoridade própria e em nome próprio, como Filho de Deus e Salvador. É o Verbo de Deus que nos revela a Nova e Eterna Aliança. Deste modo, a nossa pertença a Jesus e com Ele ao Pai exige-nos a conversão e vivência desta Palavra: “Por isso reconhecerão que sois meus discípulos se vos amardes uns aos outros como Eu vos amei”.

2. Os Quarenta Dias a que chamamos Quaresma são um Tempo de Graça, “Kairós”, que se nós quisermos, nos proporcionarão momentos de reflexão e exame de consciência, para que experimentemos a beleza do abraço misericordioso de Deus e a riqueza que nos vem da experiência da vida fraterna, “Ó como é bom viverem os irmãos no Amor de Deus!” (Sal 133, 1).

O ruído em que vivemos com frequência pode-nos roubar a liberdade interior, sobrepondo-se ao nosso discernimento e tornando-nos insensíveis aos sinais dos tempos, «ao grito dos pobres e da terra». Deste modo, somos impedidos de escutar o nosso coração onde Deus fala e ecoam os gritos da solidão e da pobreza de muitos irmãos. Por isso, importa cultivar o jejum face a todos os excessos que nos solicitam exclusiva obsessão e provar o oásis do silêncio interior, onde se tornará possível compreender que a nossa sede corresponde à água-viva da Boa Nova do Senhor. Eis uma oportunidade de excelente terapia que, se quisermos, repito, poderemos usufruir nesta Quaresma.

Oração, jejum e partilha fraterna são os três pilares da Quaresma; desde a mais remota tradição proporcionada pelos Padres do deserto, pelos Monges, Doutores da Igreja e Mendicantes, estas três práticas quaresmais renovarão as nossas vidas e farão das nossas Comunidades eclesiais, “Mães de coração aberto para todos os sedentos de Esperança”. Neste contexto da espiritualidade e da sabedoria cristã, recordo as palavras do nosso amado Papa Francisco, proferidas aos estudantes universitários na JMJ em Lisboa e agora citadas na sua Mensagem Quaresmal: «Procurai e arriscai; sim, procurai e arriscai. Neste momento histórico, os desafios são enormes, os gemidos dolorosos: estamos a viver uma terceira guerra mundial feita aos pedaços. Mas abracemos o risco de pensar que não estamos numa agonia, mas num parto; não no fim, mas no início dum grande espetáculo. E é preciso coragem para pensar assim» (03/VIII/2023). É um mundo novo que nasce, experimentando nós simultaneamente os gritos doridos do mundo velho que morre.

3. No contexto doloroso de violência generalizada e de “guerra mundial feita aos pedaços”, como refere o Santo Padre, proponho que a Renúncia Quaresmal deste ano, se destine às Igrejas do Médio-Oriente, vítimas de guerra e que façamos chegar a essas Comunidades a nossa partilha através da Santa Sé, ao serviço da Caridade do Papa Francisco.

Agradeço todo o esforço, dedicação e generosidade da Igreja Diocesana, nomeadamente da sua Cáritas, da sua Cúria e Economato, que permitiram o envio de 20.000€, correspondente à Renúncia Quaresmal de 2023, para as vítimas dos terramotos ocorridos na Turquia e na Síria. Também este quantitativo foi enviado através do ministério da Caridade do Santo Padre, o Papa Francisco.

Como já é tradição, confio mais uma vez a campanha da Renúncia Quaresmal 2024 à Cáritas Diocesana, aos Reverendíssimos Párocos, aos Serviços Centrais da Arquidiocese e à generosidade de todos os Cristãos, entidades, empresas e pessoas de boa vontade.

Com todos permaneço em comunhão de oração, jejum e caridade. E a todos desejo fecunda Quaresma e Santa Páscoa!

 

+ Francisco José Senra Coelho
Arcebispo de Évora