Etiqueta: Educação

09 Jun 2024

Educação: Alunos de EMRC vão ter novos manuais no próximo ano letivo

Os alunos de Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC) do ensino básico e técnico-profissional vão ter novos manuais no próximo ano letivo, que foram apresentados no dia 31 de maio, no final da Semana Nacional de EMRC.

“Este é um processo de há vários anos que nos está a dar muitas alegrias e, naturalmente, muito trabalho. Queremos reorganizar os recursos para forneceremos os nossos alunos o melhor que podemos e fazemos nesta área”, afirmou o diretor do Secretariado Nacional da Educação Cristã (SNEC), Fernando Moita, na sessão online de apresentação que contou com mais de 100 professores.

“Sementes de Girassol”, para o 1ºano do ensino básico, e “Todos 5”, manual do 5ºano, são os nomes dos novos manuais que são resultado de uma parceria do SNEC e a Porto Editora, tal como 287 recursos, que já se encontram disponíveis na plataforma Escola Virtual.

O coordenador do Departamento de EMRC no SNEC, António Cordeiro, referiu que este “é um processo longo”, que foi iniciado em 2020 e que até hoje já contou com “a participação de 90 professores, entre autores e consultores, de 19 dioceses”.

Até setembro vão ser disponibilizados “mais 200 recursos” entre “testes, quizzes, recursos vários, vídeos”, com o objetivo de “dar mais apoio a alunos e professores”, adiantou o responsável, citado pelo portal Educris, do Secretariado Nacional de Educação Cristã.

Pedro Rocha Mello é ilustrador dos manuais do 1ºciclo e mostra-se “ansioso pelo feedback” dos professores, no próximo ano letivo, “para saber o que ressoou nas crianças”.

“Como católico tem sido uma experiência muito enriquecedora de fazer com que estas ilustrações ressoem nos mais pequenos”, manifestou.

Segundo o coordenador do 1ºciclo, José Luís Coelho, o propósito no desenvolvimento dos novos manuais e recursos é “que o aluno tenha envolvimento ativo nas suas aprendizagens”.

“Não quisemos o manual com muitas coisas, mas deixámos espaço, pistas que ajudem professores a levar os alunos a fazer esta trabalho de autodescoberta das aprendizagens que propomos”, explicou, mencionando as várias etapas percorridas até chegar ao manual “Sementes do Girassol”.

“Queremos envolvê-los na produção, com trabalhos de pesquisa, em cooperação e com o nosso apoio, com o envolvimento das famílias, para que possam fazer este caminho de crescimento que vamos propondo ao longo do manual”, indicou José Luís Coelho, que diz que a obra permite “a adaptação à realidade local” para que “cada professor, com a sua criatividade e imaginação, possa enriquecer o nosso trabalho”.

Já os alunos do 5ºano vão contar com o novo manual “Todos 5”, cujo nome surgiu da presença do Papa em Portugal, no âmbito da Jornada Mundial da Juventude Lisboa (JMJ) 2023.

“O nome do manual ‘Todos 5’ nasce da visita do Papa Francisco a Portugal. Tivemos o cuidado de falar com a equipa do primeiro ciclo e do terceiro ciclo para garantirmos continuidade”, revelou o coordenado do 2ºciclo, que deu conta do “trabalho em equipa”, que se encontra atenta à verticalidade do currículo da disciplina.

O docente de EMRC na Arquidiocese de Braga fala que o 2ºciclo procura sempre “a articulação com as outras áreas do conhecimento” e a valorização do currículo local”.

“Este projeto tem-nos permitido também construir de raiz o manual físico e o digital”, refere o professor, que acrescenta que existem “muitas escolas em processos rápidos de desmaterialização” e que “estes recursos permitem, a partir da escola virtual, enriquecer as aprendizagens dos alunos”.

De acordo com Cristina Brito, da equipa de autores do 2ºciclo, o novo manual de EMRC do 5ºano “apresenta uma dimensão lúdica” partindo da convicção de que “o jogo ajuda hoje as crianças a sistematizar melhor as diferentes aprendizagens”.

Tendo em vista a aposta na ‘gamificação’ e o ‘digital’, a construção dos novos manuais tem contado com o apoio técnico de uma empresa especializada em animação 3D, a WIDU.

“Este projeto quer trazer vida ao manual tornando as aprendizagens mais interativas para os alunos”, referiu Luís Ferreira, da WIDU.

A criação de recursos em língua gestual como forma de incluir todos nas diferentes aprendizagens é outro dos objetivos.

“Pretendemos, ainda, destacar currículo local ao longo dos dois anos do segundo ciclo. Dar a conhecer aos alunos alguns dos destaques de cariz cultural e religioso do nosso país de modo que percebam a sua importância e os valorizem”, acrescentou Ricardo Cunha.

Segundo o portal Educris, do Secretariado Nacional de Educação Cristã, desde setembro que todos os manuais de EMRC estão presentes na Escola Virtual da Porto Editora, estando os recursos ligados à disciplina aí disponibilizados através de licença digital.

Além de que os alunos incluídos nos projetos de “desmaterialização dos manuais” têm ainda acesso ao próprio manual digital.

Para o futuro, o coordenador da disciplina de EMRC no SNEC abordou o desejo de desenvolver “uma nova etapa do trabalho em rede”, com um próximo passo formativo com os professores e o apoio da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa.

LJ/OC – Agência ECCLESIA

29 Mai 2024

Arquidiocese de Évora assinala a Semana EMRC com diversas iniciativas (com vídeo)

 

A Semana Nacional da Educação Moral e Religiosa Católica 2024 tem como tema “EMRC: Lugar de Encontro com a Liberdade”, com atividades em centenas de escolas em todo o país, entre 27 e 31 de maio.

A Arquidiocese de Évora está também a viver esta semana com diversas iniciativas conforme revelou a Coordenadora Adjunta do Ensino da Igreja nas Escolas na Arquidiocese de Évora, a professora Maria Manuela Silvério Barreiros, em entrevista exclusiva ao Podcast “Ser Igreja Évora”, que pode ser vista e ouvida no site e redes sociais da Arquidiocese. “Estão a decorrer diversas iniciativas nesta Semana da EMRC nas Escolas da Arquidiocese de Évora. Por exemplo, na Escola Manuel Ferreira Patrício, em Évora, decorre uma gincana de EMRC. Já em Fronteira, por exemplo, a docente resolveu integrar a Semana Cultural, também dando um apontamento num peddy-paper que a própria escola organiza”, informa a coordenadora, acrescentando que “noutras escolas têm decorrido várias visitas de estudo que obviamente não se conseguem concentrar todas nesta semana, algumas delas inclusivamente ao estrangeiro, e que têm acontecido em períodos de interrupção letiva para não prejudicar as aulas dos alunos”.
“Para além disso, estão a decorrer noutras Escolas visitas a igrejas e lares de idosos e também há cartazes e exposições, algumas ligadas a atividades das escolas, a atividades do 25 de Abril, em que depois a EMRC acaba por dar o seu contributo”, adianta a professora Manuela Barreiros, sublinhando que o 31.º Encontro dos Alunos de EMRC da Arquidiocese de Évora, que decorreu no dia 23 de abril, em Redondo, dedicado ao tema ‘Moral Transforma-me’ “é sempre um momento alto do ano letivo para a disciplina e para os alunos que passam o ano todo um pouco à espera de que este aconteça”.
“Atualmente, infelizmente, ainda há muitos pais e encarregados de educação que não têm a noção que a disciplina EMRC não é como no seu tempo. A disciplina de EMRC não tem nada a ver com catequese, nem se pode confundir com ela, nem uma substitui a outra. E eu atrever-me-ia a dizer que os verdadeiros pais cristãos deveriam matricular os filhos em EMRC e inscrevê-los também na catequese, porque ambas se complementam”, sublinha a Coordenadora Adjunta do Ensino da Igreja nas Escolas na Arquidiocese de Évora, acrescentando que “a Catequese prende-se com o compromisso eclesial, o crescimento na vida eclesial, e a disciplina EMRC pretende, num âmbito muito mais vasto, transmitir valores humanos muito importantes para a sociedade, entre os quais, obviamente os valores católicos pois é a disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica, e que são valores, na verdade, profundamente humanos”.
“O programa atual da disciplina de EMRC toca todas as temáticas importantes, dando-lhe a luz do Evangelho, e todos os valores essenciais para uma vida de cidadão e de cidadã responsável e comprometido”, afiança a professora Maria Manuela Silvério Barreiros.
A lei prevê a oferta obrigatória da disciplina curricular de Educação Moral e Religiosa Católica do Ensino Básico ao Secundário, e também dos cursos profissionais desde que passou a integrar as suas matrizes no ano letivo 2019/2020 (Decreto-Lei nº 55/2018, de 6 de julho).
A Concordata assinada em 2004 entre Portugal e a Santa Sé consagra a existência da disciplina de EMRC, sendo os professores propostos pelos bispos, nomeados pelo Estado e pagos pela tutela; é uma componente do currículo nacional, de oferta obrigatória por parte dos estabelecimentos de ensino e de frequência facultativa.

27 Mai 2024

EMRC: Milhares de alunos do 1.º ciclo celebram disciplina «livre» e «aberta a todos» em Fátima

Fátima recebeu, no dia 24 de maio, milhares de alunos no encontro nacional de Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC) do 1.º ciclo, num dia em que o diretor do Secretariado Nacional de Educação Cristã (SNEC) sublinhou que a disciplina é “aberta a todos”.

“A disciplina é, por natureza, aberta a todos. A disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica tem uma identidade que é a mensagem cristã, no seu programa, na identidade e no perfil do seu professor, mas destina-se a quem? Destina-se todos”, afirmou Fernando Moita, em entrevista à Agência ECCLESIA.

O responsável acredita que todos os alunos que frequentam as aulas de EMRC, sejam eles “de tradição católica”, “ortodoxa”, “evangélica”, se sentem inteiros e que, apesar de o objetivo não ser atingir outras confissões religiosas, “aqueles que aceitam o desafio são bem recebidos”.

“A EMRC é uma disciplina livre. Na sua capacidade e na sua possibilidade de escolher, dizer sim ou não, na sua capacidade de se descobrir, mas também na sua capacidade e na sua liberdade de aceitar mudar e aceitar ser construtor de um mundo melhor. Portanto, esta liberdade que nos torna verdadeiramente felizes”, destacou.

Cerca de cinco mil participantes integraram o XXII encontro nacional dos alunos de Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC) do 1º ciclo, com alunos provenientes de 80 agrupamentos de escolas de todo o país, que fizeram parte de um programa que incluiu, entre outras atividades, uma peça de teatro, no Centro Paulo VI, e uma celebração na Basílica da Santíssima Trindade.

O diretor do SNEC assinalou que “é sempre um dia maravilhoso”, “luminoso” e “mágico” reunir cerca de cinco mil crianças do 1.º ciclo com os professores da disciplina e que esta é a maneira de ser Igreja, de ser EMRC e de colocar alunos a “sonhar” e a “desejar um mundo melhor”.

“EMRC, uma Luz no Coração” foi o tema do encontro, tendo sido esta uma escolha motivada pela situação atual global.

“Num mundo onde existe tanta escuridão, nós também queremos que a EMRC seja uma luz no coração dos nossos alunos. Naquilo que eles fazem, naquilo que eles dizem, no sítio onde estão inseridos, na escola, nas suas famílias. E achámos, então, por bem, nos dias de hoje, e fazer também um bocadinho a articulação com aquilo que vai acontecer amanhã em Roma [1º edição da Jornada Mundial das Crianças]”, explicou Cristina Brito, da equipa nacional da EMRC.

O intuito, segundo a responsável, é que esta mensagem se “dissemine” e que acompanhe os alunos onde quer que vão, “nas suas casas, nas suas escolas e nas suas famílias”.

“Dar um sorriso a quem esteja triste. No olhar, num gesto, numa palavra, basta ser isso. Luz. Jesus no coração e transmitir isso para os outros. É essa a mensagem que nós queremos deixar”, indica.

23 Mai 2024

Renovação da Equipa Regional do Corpo Nacional de Escutas (CNE-Évora)

O CNE – Corpo Nacional de Escutas-Região de Évora tem uma nova Junta Regional que desenvolverá o seu projecto para os próximos quatro anos. A tomada de posse realizou-se na Igreja de S. Francisco no dia de Pentecostes, dia 19 de maio. Estiveram presentes escuteiros dos diversos agrupamentos da região, alguns dos anteriores chefes regionais de Évora, chefes regionais de outras regiões e o representante da Junta Central.

Sendo lista única concorrente, foi eleita no dia 27 de Abril a Patrulha Pássaro de Fogo “Fenix”. Ficou assim constituída a equipa regional: Chefe Regional Pedro Barras, CRAdj Rosário Beijocas, SRGPE Sérgio Roma, SRGA Marta Silvério, SRGRF António Martins, e SRGPA Ana Rita Matos.

A tomada de posse começou com a eucaristia, presidida pelo Assistente Regional, que agradeceu o serviço prestado pela Junta Regional cessante e desejou bom êxito para a Junta Regional que agora começa, realçando a necessidade de “sermos dóceis aos Espírito Santo”, deixando que “ilumine, fortaleça e dirija as vidas dos escuteiros”. No momento pós comunhão a comunidade deu graças pelos anteriores Chefes Regionais pois deram um contributo determinante para que o escutismo se mantenha vivo na Arquidiocese de Évora.

No final da eucaristia, o Presidente da Mesa dos Conselhos Regionais dirigiu a cerimónia que teve vários momentos. A Patrulha Brownsea cessante atribuiu condecorações e o Dirigente Duarte Azaruja usou da palavra, dizendo: «acreditamos que no tempo que durou a nossa missão, contribuímos em conjunto para ‘deixar o mundo um pouco melhor do que o encontrámos’, e por isso muito obrigado”. De seguida foram chamados os membros da nova Junta Regional, foi lida a acta de tomada de posse que os mesmos assinaram, assumindo assim os deveres a que se comprometeram.

O Chefe Regional Dirigente Pedro Barras usou da palavra para incentivar à união da região, procurando “ser um só corpo”: tal como consta do programa, os objectivos são dinamizar as oito maravilhas do método, fomentar a aprendizagem e a partilha, gerir os recursos regionais, e promover a interação com a comunidade. O momento terminou com as palavras do representante da Junta Central, que agradeceu aqueles que serviram os escutismo no passado, especialmente ao Dirigente Duarte e à sua equipa, e dirigiu palavras de encorajamento à equipa que assume esta nova missão, acentuando a necessidade de estar em comunhão com a Junta Central e com as outras regiões. Terminou com votos de “boa caça”.

22 Mai 2024

24 de maio: XXII Encontro Nacional de Educação Moral e Religiosa Católica do 1.º ciclo

«EMRC, uma Luz no Coração» é o tema central de mais um Encontro Nacional do 1º Ciclo que o Santuário de Fátima volta a acolher no próximo dia 24 de maio de 2024.

“Queremos fazer festa com a alegria que cada criança transporta e, juntos, acolher, olhar, contemplar e irradiar a Luz”, explica ao EDUCRIS Cristina Brito, da equipa nacional da Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC).

Na reta final da preparação do grande encontro, que vai contar este ano com participantes de 80 agrupamentos de escolas de todo o país, a responsável dá conta de “um conjunto de gestos” que pretendem ajuda os mais novos a descobrir “o seu lugar e missão no mundo”.

“Pensamos sempre numa mensagem que vá de encontro à formação integral que queremos proporcionar aos nossos alunos. Neste encontro fomos buscar a simbologia da luz. Como alunos de EMRC são desafiados a abrir as portas do seu coração para iluminar caminho dos outros e levar a sua luz àqueles que a perderam, um sorriso para quem não tem mais”, sustenta.

O dia conta com uma dimensão “espiritual”, com a realização de uma celebração na basílica da Santíssima Trindade onde os mais pequenos vão “agradecer o dia” e aprender o “ser enviado para o dia a dia” de modo a “erradiar a luz que nos vem do coração nos gestos da bondade, paz e amizade para com aqueles que nada tem”.

“Teremos aí uma representação bíblica da parábola da lâmpada que ajudará os pequenos a perceber podem transmitir o melhor de si para ajudar o mundo a ser mais fraterno”.

Durante o dia o Centro Paulo VI acolhe três sessões culturais com a peça «O Brilho do Coração – uma história inspirada no pequeno príncipe» e “muitas outras surpresas”.

Considerando que “as crianças são a mais bela expressão do amor de Deus a sua pureza, a vontade de viver torna-as protagonistas de um mundo melhor” a responsável considera que como alunos de EMRC são “desafiados a abrir as portas do seu coração para iluminar caminho dos outros e levar a sua luz aqueles que a perderam, um sorriso para quem não tem”.

Numa proposta que quer “fazer eco na vida dos mais novos” a organização criou uma atividade preparatória” sob o tema «À descoberta da Luz».

“Este Encontro tem sempre uma preparação que perdura no tempo. Não nos concentramos apenas no dia, mas fazemos um conjunto de atividades que ajudam os alunos a perceber o que vão encontrar no dia. Este ano queremos que se centrem em ações concretas e se interroguem como podem ser luz do coração, hoje”, desenvolve.

A partir de um jogo interativo os alunos do primeiro ciclo realizam “diversos desafios” que os vão colocar à prova e permitir conhecer “a obra do padre Américo”.

 

“Esta obra faz parte de uma das aprendizagens do primeiro ciclo e queremos aprofundá-la como gesto concreto a levar ao Encontro Nacional, desafiando os alunos a uma campanha solidária cujos frutos serão levados para Fátima no dia do Encontro”, concretiza.

 

Semana Nacional propõe a «EMRC, lugar de Encontro com a Liberdade»

Em vésperas da Semana Nacional da EMRC, que este ano vai refletir sobre o contributo da disciplina enquanto “lugar de Encontro com a Liberdade”, Cristina Brito afirma que desde o primeiro ciclo os mais novos são desafiados, “a fazer emergir uma luz para o mundo” expressa “nos gestos concretos da amizade, da bondade, partilha e paz”.

“A EMRC permite fazer escolhas com sentido, optando pelo bem e contribuindo para a felicidade de todos”, concretiza.

Na edição de 2023 o Encontro Nacional do 1º Ciclo reuniu em Fátima mais de quatro mil alunos, provenientes de setenta agrupamentos de escolas de quinze dioceses portuguesas

22 Mai 2024

27 a 31 de maio: Semana Nacional da Educação Moral e Religiosa Católica

De 27 a 31 de maio a Semana Nacional da Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC) vai animar as escolas de todo o país com atividades em centenas de escolas, um webinar sobre «educação e liberdade» e uma exposição virtual.

“Queremos tornar presente a identidade e missão da EMRC e dos seus professores” e permitir o “encontro e a colaboração dos protagonistas da EMRC nos diferentes âmbitos: escolar, diocesano e nacional”, explica Jorge Novo, coordenador da Semana Nacional da EMRC.

Na comemoração dos 50 anos do 25 de abril de 1974 a disciplina, de oferta obrigatória em todo o sistema de ensino português, procura dar a conhecer o seu contributo “para a educação e formação integral dos alunos”.

“Esta Semana é especial para a EMRC porque a celebramos naquilo que é o seu papel fundamental na educação e formação integral dos alunos. Celebramos as suas diversas concretizações nas diferentes escolas portuguesas. Oferece uma oportunidade de desenvolver um diálogo interdisciplinar mostrando como as questões da ética, da religião, dos princípios e valores, fazem parte do desenvolvimento harmonioso do humano”, desenvolve o responsável.

Sob o tema «EMRC: Lugar de Encontro com a Liberdade», a semana conta com atividades preparadas e pensadas em centenas de escolas, dioceses e três de âmbito nacional. Todas podem ser identificadas e acompanhadas numa plataforma virtual.

Exposição virtual dá a conhecer história dos Manuais da EMRC

Ainda antes do 25 de abril de 1974 as denominadas ‘Aulas de Religião’ já apresentavam temas de reflexão ético-moral a partir do património judaico-cristão.

A exposição virtual reúne os programas e os manuais de uma disciplina confessional que nascendo antes da democracia se constituiu, desde cedo, como ‘espaço de liberdade, de reflexão, e de construção de projetos de vida com vista ao bem comum”, reforça Jorge Novo.

 

Webinar reúne personalidades da cultura e educação

A 28 de maio, pelas 18h00, a Semana Nacional da Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC) dinamiza o Webinar «Diálogo(s) sobre a Educação, a EMRC e a Liberdade».

A iniciativa vai analisar o estado da educação e o papel da EMRC na formação das novas gerações “num mundo em que o valor da liberdade se afigura como fundamental e decisivo”.

Figuras como Pedro Abrunhosa, José Rui Teixeira, Mariana Carvalho, Ernesto Diaco, Raquel Pérez Sanjuán, Sofia Fonseca, Fernando Moita e D. António Augusto Azevedo, participam em novo momento marcante da Semana Nacional da EMRC.

De participação livre e inscrição obrigatória, em formulário online disponível AQUI, a iniciativa tem a moderação a cargo de Afonso de Sousa, jornalista da Antena 1.

 

Atividades disponíveis em escolas de todo o país

Ao longo da semana vão realizar-se mais de seis dezenas de atividades, ao nível das escolas e das dioceses. AQUI pode consultar todas as atividades da Semana Nacional da Educação Moral e Religiosa Católica

___________________________________________________
Link para acesso a toda a «Agenda» da Semana Nacional da Educação Moral e Religiosa Católica
https://forms.gle/2dm268tNZCf8tiuPA

Link para inscrição no Webinar «Diálogo(s) sobre a Educação, a EMRC e a Liberdade»
https://bit.ly/4awOyDt

Oração Universal para as Eucaristias do Domingo da Santíssima Trindade (26 de maio de 2024)
https://bit.ly/3WMEcMt

 

15 Mai 2024

Arcebispo de Évora visita o Centro Luís da Silva (centro acolhimento de pessoas com deficiência) e encontra-se com crianças da catequese em Borba (com fotos)

Nesta quarta-feira, dia 15 de maio, no âmbito da Visita Pastoral Missionária à Unidade Pastoral de Borba, o Arcebispo de Évora visitou o Centro Luís da Silva (centro acolhimento de pessoas com deficiência), em Borba.
Acompanhado pelo Pároco, o P. Alessandro Cont, o Prelado eborense foi acolhido e conviveu com a direção, com os funcionários e com os utentes daquele Centro.
Já durante a tarde, o Prelado eborense teve um encontro com as crianças que vão fazer a Primeira-Comunhão no dia de Corpo de Deus.
15 Mai 2024

Arcebispo de Évora visita a Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Borba (com fotos)

Na tarde de terça-feira, dia 14 de maio, o Prelado eborense, acompanhado pelo Pároco, o P. Alessandro Cont, visitou as instalações da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Borba.
O Arcebispo de Évora fez a bênção de viaturas novas e presidiu a uma celebração mariana com a recitação do Rosário.
A visita terminou com um momento de confraternização com os elementos da Corporação de Bombeiros de Borba e respectivas famílias.
14 Mai 2024

Arcebispo de Évora visita o Agrupamento de Escolas de Borba (com fotos)

Na manhã desta terça-feira, no âmbito da Visita Pastoral Missionária, o Arcebispo de Évora visitou o Agrupamento de Escolas de Borba.
Acompanhado pelo Pároco, o P. Alessandro Cont, o Prelado eborense foi acolhido e conviveu com os alunos dos vários graus de ensino, num momento de marcado pela música, pela alegria e pelo boa disposição de toda a comunidade escolar.
09 Mai 2024

Educação/Portugal: Bispos pedem liberdade de escolha para os pais e escolas católicas «abertas a todos»

A Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé pediu que os pais tenham liberdade de escolha para a escola dos seus filhos, numa mensagem em que saúdam os pais e alunos das instituições católicas de ensino, em Portugal.

“Como primeiros educadores dos vossos filhos, bem desejamos que vós possais escolher a escola que entenderdes, sem entraves financeiros ou outros”, indicam os bispos, no texto publicado a propósito dos 25 anos da Associação Portuguesa de Escolas Católicas (APEC), que se assinala nesta quinta-feira, dia 9 de maio.

O organismo da Conferência Episcopal Portuguesa apela à “promoção da liberdade de educação”, desejando que as escolas católicas possam ser “abertas a todos, privilegiando os mais frágeis”.

O documento, enviado à Agência ECCLESIA, evoca “todos os alunos que cresceram (e crescem) em sabedoria, estatura e graça no seio de uma Escola Católica” e os pais que acreditaram “numa educação que assenta nos valores evangélicos”.

Os responsáveis sublinham a importância da “colaboração com as famílias na construção do projeto de educação” e o papel das instituições que integram a APEC para o sistema educativo e a rede escolar, “colmatando lacunas e afirmando uma marca peculiar, insubstituível e tão expressivamente procurada”.

Congratulamo-nos pelo bem que a APEC tem feito durante este quarto de século: como realidade eclesial na senda da evangelização e na promoção da identidade e missão das escolas católicas; no estímulo para a comunhão, partilha e cooperação, gerador de sinergias”.

A nota dirige-se a responsáveis de congregações religiosas, de escolas diocesanas ou de associações privadas de fiéis, irmãs, irmãos, sacerdotes, leigos, que, “superando dificuldades de diversas ordens”, mantêm as portas das suas escolas “abertas a quem deseja entrar”.

“Não desistais nunca, porque a missão das vossas escolas insere-se plenamente nos desígnios da Igreja, como espaço eclesial que são”, escrevem os bispos.

A saudação estende-se aos “educadores docentes e não docentes” que dão vida a projeto educativo de cada instituição, no dia a dia.

“Queremos exprimir a nossa alegria por sentir bem vivo e com ardor renovado um setor da Igreja que acolhemos, desde sempre, com toda a atenção e com todo o carinho”, assinala a nota.

É fundamental a Escola Católica viver intensamente a sua identidade e missão e adequá-la a um mundo em mudança, maioritariamente secularizado e com muitos desafios. E neste cenário nem sempre favorável, ser resposta para os anseios mais profundos da pessoa humana, abrindo-a à sua vocação de transcendência”.

A Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé assume a necessidade de “encontrar respostas a questões interpelantes e prementes”, como a diminuição das vocações e o seu impacto na continuidade de projetos educativos, a “escassez de colaboradores qualificados e identificados com a fé cristã, a premência de lideranças fortes e estáveis”.

“É necessário promover a articulação harmoniosa de todos os atores educativos da Escola Católica, em interação com a realidade eclesial, mas também com a envolvente realidade social e – sem esquecer a determinante responsabilidade do Estado, em matéria de liberdade e de subsidiariedade – a realidade política, na construção do ‘Pacto Educativo Global’ que insistentemente nos tem falado o Papa Francisco”, sustentam os bispos.

A APEC e o Secretariado Nacional da Educação Cristã (SNEC) vão promover em Fátima, nos dias 10 e 11 de outubro, o II Congresso Nacional da Escola Católica, no âmbito dos 25 anos da associação.

De acordo com um comunicado enviado à Agência ECCLESIA, o congresso tem o objetivo “promover a identidade e a missão da Escola Católica”, “afirmar o papel marcante e insubstituível da Escola Católica na Igreja e na sociedade portuguesa” e “favorecer o debate em torno dos sete compromissos com o Pacto Educativo Global”.

PR/OC – Agência ECCLESIA