Etiqueta: Cultura e Bens Patrimoniais

23 Fev 2024

24 de fevereiro, às 18h, na Igreja de S. Francisco: Concerto estreia peça para 4 órgãos

O 1º Festival Internacional de Órgão de Évora – FIOE prossegue com o quarto de 11 concertos programados, dia 24 de fevereiro às 18H00 na Igreja de S. Francisco, com entrada gratuita.
Este concerto, com os organistas Paulo Bernardino, Rui Soares, João Santos e Ricardo Toste, explora a rara circunstância de existirem quatro órgãos na Igreja de S. Francisco, recentemente restaurados, todos construídos pelo organeiro genovês Pascoal Caetano Oldovino, radicado em Évora no século XVIII.

Em estreia absoluta será apresentada a peça Evangelia Quattuor, encomendada a Paulo Bernardino. É uma composição concebida para quatro órgãos, tendo como fonte de inspiração os quatro evangelhos do Novo Testamento. O título em latim, que significa “Os Quatro Evangelhos”, estabelece uma analogia direta com os quatro órgãos utilizados na peça, cada um representando um dos evangelhos.

Com uma abordagem nitidamente pós-moderna, Evangelia Quattuor incorpora uma citação de cantochão para cada órgão/evangelho, relacionada a cada um dos evangelistas. Essas referências musicais servem como base para o desenvolvimento da linguagem musical que compõe a obra.

Dado o escasso repertório disponível para formações de quatro órgãos, a Igreja de S. Francisco tem tomado a iniciativa de encomendar a compositores obras que não só valorizem o seu patrimônio organológico, mas também enriqueçam o repertório dedicado a esse tipo específico de agrupamento.

Evangelia Quattuor, inserindo-se nesse contexto, destaca-se como uma contribuição significativa para a diversificação e expansão do repertório musical para quatro órgãos.

O 1º Festival Internacional de Órgão de Évora – FIOE é organizado pela igreja de S. Francisco – Paróquia de S. Pedro e tem como parceiros o Cabido da Sé de Évora e igreja do Espírito Santo. Surge na sequência lógica do avultado investimento feito na recuperação dos órgãos históricos por parte destas entidades.

 

22 Fev 2024

Exposição “Terra e Céu” do P. Manuel José Marques na Biblioteca Municipal de Reguengos de Monsaraz (com fotos)

As cores reúnem-se nas telas pintadas pelo P. Manuel José Marques para celebrar a terra e o céu na plenitude do sol, que o autor vai apresentar na exposição que estará patente de 16 de fevereiro a 17 de março no Auditório António Marcelino da Biblioteca Municipal de Reguengos de Monsaraz. Intitulada “Terra e Céu”, esta mostra de pintura a acrílico sobre tela pode ser visitada de segunda-feira a sábado, entre as 10h e as 12h30 e das 14h e as 17h30.

Nesta exposição, o autor propõe 17 quadros que “respiram um Alentejo sem sombras, pleno de luz e de infinito, onde por vezes aparece Monsaraz como uma presença silenciosa e vigilante, a despertar novos sentimentos”. As obras foram pintadas entre 2017 e 2024 e a vila medieval de Monsaraz foi a inspiração para seis quadros, nomeadamente “Vigiando a Planície”, “Amendoeiras”, “Tardes de Oiro”, “Navegando em terra firme”, “Sentinela da Manhã” e “Sentinela da Tarde”.

O P. Manuel José Marques é pintor, sacerdote, professor e jornalista, estudou no Instituto Superior de Teologia de Évora, onde é docente, e fez a licenciatura e o mestrado na Universidade Pontifícia de Salamanca (Espanha). Na pintura iniciou-se na técnica do desenho a lápis, interessou-se pelo desenho a pastel e recentemente entrou no campo da pintura a óleo e acrílico e na composição com diversos materiais, como tecidos, areias e colas.

O autor considera-se um autodidata que “procura o impossível. Cada tela é um lugar de desassossego e inquietação que abre espaço ao silêncio e à paz”. “Terra e Céu” é a sétima exposição de Manuel José Marques, que apresentou pela primeira vez os seus trabalhos em 1996 em Évora, seguindo-se mostras em Monsaraz (2017 e 2019), Montemor-o-Novo (2018), Reguengos de Monsaraz (2019) e Monforte (2021).

 

17 Fev 2024

Apresentação Teatral na Igreja de São Francisco, em Évora, atraiu e encantou centenas (com fotos)

Neste dia 17 de fevereiro, às 11h e às 15h, na Igreja de São Francisco, em Évora, decorreu a apresentação teatral intitulada “O Meu Cristo Partido”, inspirada no livro do Padre Ramón Cué.

A Igreja foi pequena para acolher o número significativo de crianças, adolescentes, jovens e adultos que assistiram à apresentação.

No final da apresentação da manhã, o Arcebispo de Évora, que também assistiu, agradeceu a magnifica apresentação assim como a presença de todos.

 

03 Fev 2024

Arcebispo de Évora preside a inauguração de instalação artística no Centro de Arte e Cultura da Fundação Eugénio de Almeida

O Arcebispo de Évora, D. Francisco José Senra Coelho, presidiu na tarde deste sábado, dia 3 de Fevereiro, à inauguração da instalação artística, intitulada “Metade dos Minutos”, desenvolvida pela artista Ângela Rocha, patente no Centro de Arte e Cultura da Fundação Eugénio de Almeida, em Évora.