Etiqueta: Cultura e Bens Patrimoniais

11 Jun 2024

600 anos do Santuário de Nossa Senhora de Brotas: Romaria a cavalo e bênção dos animais (com fotos)

No dia 10 de junho, realizou-se o último dia da Romaria no âmbito da celebração dos 600 anos do Santuário de Nossa Senhora de Brotas.

Durante a manhã, decorreu a romaria a pé e a cavalo até à antiga Aldeia das Águias. No regresso, houve um momento de oração no cemitério e no lar de Brotas, culminando com a celebração da  Eucaristia campal, na qual aconteceu a bênção dos animais, presidia pelo Pároco, P. Nelson da Costa Fernandes.

 

09 Jun 2024

Sé de Évora: Concerto do organista italiano Lorenzo Ghielmi inaugurou o órgão barroco da Catedral, recentemente restaurado

REVEJA NESTE LINK O CONCERTO

Neste domingo, dia 9 de Junho às 18h00 na Sé de Évora, o FIOE – 1º Festival Internacional de Órgão de Évora apresentou o organista italiano Lorenzo Ghielmi, num concerto que inaugurou o órgão barroco da Catedral, recentemente restaurado.

Desde a segunda metade do século XVI que a escrita musical na Catedral de Évora é assente nas bases do “stile antico”, evoluindo para o novo estilo de infl uência italiana, composto pelos mestres da Sé a partir de meados do século XVIII. Contudo ambos os estilos coexistiam e eram prática comum na Sé durante todo o século XVIII.

Nesta perspetiva histórica Lorenzo Ghielmi, um dos mais importantes órgnistas da atualidade, apresenta um repertório baseado no estilo antigo instrumental, anterior ao órgão, e o novo estilo pós-barroco contemporâneo do órgão.

Apresenta-nos Frescobaldi, Zipoli Gonelli, Storacce e Sammartini, representantes da realidade “stile antico – nuovo stile” para órgão, juntamente com autores antigos da tradição ibérica, tais como Correa de Arauxo e Juan Cabanilles, numa simbiose entre passado e presente do repertório organístico barroco.

O órgão barroco, instalado em 1758, foi construído por Pascoal Caetano Oldovino tendo o entalhamento da caixa sido entregue a Luís João Botelho, resultando num dos mais importantes e esplendorosos trabalhados do pós-barroco português. Este órgão é um dos mais caros produzidos por Oldovino, tendo custado a quantia de um conto de reis.

Trata-se de um instrumento de notável qualidade do material sonoro, executado com o mais alto requinte e os mais luxuosos materiais, do que resulta um instrumento com sonoridade de grande contraste, entre o aveludado e o imponente.

A capela-mor da Sé de Évora, de gosto marcadamente italiano, é da autoria do arquiteto João Frederico Ludovice (Johann Friedrich Ludwig), aprovada por D. João V e completada em fevereiro de 1718.

Em julho de 1734 iniciaram-se os trabalhos da tribuna do órgão e a da tribuna real que se situa em frente. A cerimónia de sagração da capela ocorreu a 22 de maio de 1746, dia da dedicação da Catedral, tendo-se iniciado bem cedo, pelas sete horas da manhã.

PROGRAMA:

Girolamo Frescobaldi (1583 – 1643)
Toccata con il contrabbasso over pedale
Canzon dopo l’Epistola
Due Gagliarde
Francisco Correa de Arauxo (1576-1654)
Tres Glosas sobre el Canto Llano de la Immaculada Concepcion
Tiento XV de quarto tono
Bernardo Storace (1600-1664)
Battaglia
Balletto
Juan Cabanilles (1644-1712)
Tiento de falsas
Corrente italiana
Domenico Zipoli (1688-1726)
Sonata in re minore: Preludio, Allegro, Adagio, Allegro
Giovanni Battista Sammartini (1701-1775)
Sonata
Anónimo lombardo (XVIII secolo)
Sonata
Giuseppe Gonelli (1666-1740 ca.)

Sonata em fá maior

NOTA BIOGRÁFICA

Lorenzo Ghielmi tem dedicado anos ao estudo e à interpretação da música renascentista e barroca. É um dos grandes intérpretes das obras para órgão e cravo de Bach.

Realiza concertos por toda a Europa, Rússia, Japão, Coreia e Américas. Tem numerosas gravações radiofónicas e uma vasta discografi a (Passacaille, Winter & Winter, Harmonia mundi, Teldec).Publicou um livro sobre Nicolaus Bruhns, artigos e estudos sobre a construção de órgãos dos séculos XVI e XVII, sobre a interpretação das obras de Bach e de outros compositores do período barroco.

Leciona órgão, cravo e música de câmara na Civica Scuola di Musica di Milano. De 2006 a 2015, foi Professor de Órgão na Schola Cantorum em Basileia.

É o organista titular do órgão Ahrend da basílica de San Simpliciano em Milão, onde interpretou a obra completa para órgão de J.S. Bach.

Integra o júri de numerosos concursos internacionais de órgão e é responsável por palestras e masterclasses em importantes instituições musicais.

Supervisionou também a construção de vários órgãos novos, incluindo o grande instrumento da Catedral de Tóquio.

Em 1985, foi um dos fundadores do Giardino Armonico. Em 2005, iniciou o ensemble La Divina Armonia, com o qual tem realizado concertos em muitos festivais europeus e japoneses.
08 Jun 2024

600 anos do Santuário de N.ª Sr.ª de Brotas (com vídeo e com fotos)

Durante o corrente ano de 2024 estão a ser comemorados os 600 anos do Santuário de Nossa Senhora de Brotas, com diversas iniciativas.

Neste dia 8 de junho, no âmbito das comemorações, realizou-se uma Romaria ao Santuário de Nossa Senhora de Brotas, que teve como momento alto a celebração da Eucaristia, pelas 11h30, presidida pelo Arcebispo de Évora, D. Francisco Senra Coelho.

Os peregrinos partiram cedo de Mora e caminharam a pé até ao Santuário. Após a Eucaristia houve um momento de confraternização.

Ao longo do dia, houve ainda um concerto pelo Coro do Carmo (dirigido por Monsenhor António Cartageno) e uma conferência proferida pelo Prelado Eborense.

Em entrevista ao Podcast Ser Igreja (que poderá ser vista nos canais digitais da Arquidiocese), o Pároco, P. Nelson Fernandes, convida todos a participar na Romaria, informando ainda que no dia 10 de junho decorrerá uma Romaria a Cavalo àquele Santuário, com Missa campal, às 11h30, e Bênção do Gado.

23 Mai 2024

26 de Maio, às 17:00, na igreja do Espírito Santo, em Évora: Concerto com Johann Vexo

No dia 26 de Maio às 17:00 na igreja do Espírito Santo, o FIOE – 1º Festival Internacional de Órgão de Évora apresenta um concerto com Johann Vexo, um dos mais brilhantes e importantes interpretes de órgão da atualidade. O programa é inteiramente preenchido por obras de autores franceses, numa perfeita simbiose com o instrumento romântico de Cavaillé-Coll da igreja do Espírito Santo. O concerto tem entrada gratuita.

Alexandre Guilmant, César Franck e Charles-Marie Widor são nomes do mais alto gabarito da escola romântica francesa para órgão, tornando grande o instrumento de pequena dimensão da igreja do Espírito Santo de Évora.

Às obras destes grandes compositores, escolhidas por Vexo, junta-se uma adaptação da primeira Arabesque de Claude Debussy, marcando a adaptação das obras para piano como uma das características da linguagem romântica para órgão francês.

O órgão Cavaillé-Coll de Évora, que ganhou uma poderosa sonoridade após um avultado investimento na sua recuperação, soará enorme nas mãos deste virtuoso organista.

O 1º Festival Internacional de Órgão de Évora – FIOE é organizado pela igreja de S. Francisco – Paróquia de S. Pedro e tem como parceiros o Cabido da Sé de Évora e igreja do Espírito Santo. Surge na sequência lógica do avultado investimento feito na recuperação dos órgãos históricos por parte destas entidades.

O Festival pretende ser um grande evento, em que todos os órgãos serão tocados por organistas de carreira sólida e de referência internacional e nacional, bem como divulgar o trabalho de jovens organistas com a possibilidade de manifestar a qualidade da sua arte.

Irão ser escritas novas obras para os 4 órgãos de S. Francisco, pois o repertório para este tipo de agrupamento é escasso. Os concertos, no total de onze, serão a solo ou com os mais diversos conjuntos vocais e instrumentais. Pretende ainda dar a conhecer o trabalho dos músicos que profissionais ou amadores, exercem a sua atividade localmente ou que de Évora são naturais.

Os concertos vão decorrer ao longo de aproximadamente um ano com início a 15 de outubro de 2023 e término a 14 de julho de 2024. Este é o festival que mais puramente se relacionará com a cultura do património material e imaterial de Évora.

Todos os concertos têm entrada gratuita.

29 Mar 2024

Apesar da noite chuvosa, eborenses testemunharam a sua fé na Procissão do Enterro do Senhor em Évora (com fotos e vídeo)

Na noite desta sexta-feira Santa, 29 de março, decorreu a tradicional Procissão do Enterro do Senhor, organizada pela Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Évora, com saída da Igreja do Calvário para a Igreja da Misericórdia.

A Procissão do Enterro do Senhor, transmitida em directo pelos canais digitais da Arquidiocese de Évora, numa produção do Departamento diocesano da Comunicação com o apoio da Comunidade Canção Nova de Évora, foi presidida pelo Arcebispo de Évora, D. Francisco Senra Coelho.

Apesar da noite chuvosa, os eborenses acompanharam com muita fé e devoção a Procissão do Enterro do Senhor.

Após a Procissão, já na Igreja da Misericórdia de Évora, aconteceu a tumulação do Senhor.

De seguida, o P. Alberto Martins, fez o sermão, no qual apelou: “no silêncio da oração aproximemo-nos do crucificado que está vivo e está junto a cada um de nós e deixemo-nos perdoar, amar e salvar. Que Ele transforme as nossas feridas dolorosas em cicatrizes luminosas e com Ele passemos da morte à vida”.

No final da celebração, o Arcebispo de Évora agradeceu “o testemunho vivo da nossa fé apesar da chuva desta noite de Sexta-feira Santa”.

(Fotos: Comunidade Canção Nova Évora)

 

13 Mar 2024

Visita Guiada à Exposição “Terra e Céu” da autoria do P. Manuel José Marques (com vídeo)

As cores reúnem-se nas telas pintadas pelo P. Manuel José Marques para celebrar a terra e o céu na plenitude do sol, que o autor apresenta na exposição que está patente até 17 de março no Auditório António Marcelino da Biblioteca Municipal de Reguengos de Monsaraz.

Intitulada “Terra e Céu”, esta mostra de pintura a acrílico sobre tela encanta pelas cores e o traço que nos transmitem a paz da paisagem alentejana e nos eleva até ao céu de todas as cores.

Não perca esta Visita Guiada feita pelo próprio autor à Exposição que pode ser visitada de segunda-feira a sábado, entre as 10h e as 12h30 e das 14h e as 17h30.

O P. Manuel José Marques é pintor, sacerdote, professor e jornalista, estudou no Instituto Superior de Teologia de Évora, onde é docente, e fez a licenciatura e o mestrado na Universidade Pontifícia de Salamanca (Espanha). Na pintura iniciou-se na técnica do desenho a lápis, interessou-se pelo desenho a pastel e recentemente entrou no campo da pintura a óleo e acrílico e na composição com diversos materiais, como tecidos, areias e colas.

07 Mar 2024

Exposição “Terra e Céu” do P. Manuel José Marques na Biblioteca Municipal de Reguengos de Monsaraz (com fotos)

As cores reúnem-se nas telas pintadas pelo P. Manuel José Marques para celebrar a terra e o céu na plenitude do sol, que o autor vai apresentar na exposição que estará patente de 16 de fevereiro a 17 de março no Auditório António Marcelino da Biblioteca Municipal de Reguengos de Monsaraz. Intitulada “Terra e Céu”, esta mostra de pintura a acrílico sobre tela pode ser visitada de segunda-feira a sábado, entre as 10h e as 12h30 e das 14h e as 17h30.

Nesta exposição, o autor propõe 17 quadros que “respiram um Alentejo sem sombras, pleno de luz e de infinito, onde por vezes aparece Monsaraz como uma presença silenciosa e vigilante, a despertar novos sentimentos”. As obras foram pintadas entre 2017 e 2024 e a vila medieval de Monsaraz foi a inspiração para seis quadros, nomeadamente “Vigiando a Planície”, “Amendoeiras”, “Tardes de Oiro”, “Navegando em terra firme”, “Sentinela da Manhã” e “Sentinela da Tarde”.

O P. Manuel José Marques é pintor, sacerdote, professor e jornalista, estudou no Instituto Superior de Teologia de Évora, onde é docente, e fez a licenciatura e o mestrado na Universidade Pontifícia de Salamanca (Espanha). Na pintura iniciou-se na técnica do desenho a lápis, interessou-se pelo desenho a pastel e recentemente entrou no campo da pintura a óleo e acrílico e na composição com diversos materiais, como tecidos, areias e colas.

O autor considera-se um autodidata que “procura o impossível. Cada tela é um lugar de desassossego e inquietação que abre espaço ao silêncio e à paz”. “Terra e Céu” é a sétima exposição de Manuel José Marques, que apresentou pela primeira vez os seus trabalhos em 1996 em Évora, seguindo-se mostras em Monsaraz (2017 e 2019), Montemor-o-Novo (2018), Reguengos de Monsaraz (2019) e Monforte (2021).

 

28 Fev 2024

Reunião histórica entre as Províncias Eclesiásticas de Évora e Mérida-Badajoz (Espanha)

No dia 27 de Fevereiro, na igreja de Santa Luzia, em Elvas, decorreu, pela primeira vez na história, um Encontro entre as Províncias Eclesiásticas de Évora e de Mérida-Badajoz, com o objetivo de conhecimento mútuo e a possibilidade de estabelecer espaços de ajuda mútua e trabalho em comum. Este Encontro, realizado por iniciativa dos dois Arcebispos Metropolitas, inspirou-se nas já tradicionais reuniões anuais entre as Províncias Eclesiásticas de Braga e de Santiago de Compostela.

O Encontro contou com a participação por parte da Província Eclesiástica de Évora: D. Francisco Senra Coelho, Arcebispo de Évora; D. João Marcos, Bispo de Beja; e D. Manuel Quintas, Bispo do Algarve. Da Província Eclesiástica de Mérida-Badajoz participaram: D. Celso Morga Iruzubieta, Arcebispo de Mérida-Badajoz; D. José Rodríguez Carballo, Arcebispo Coadjutor de Mérida-Badajoz com futura sucessão; D. Jesús Pulido Arriero, Bispo de Coria-Cáceres; os Vigários Gerais de Mérida-Badajoz, Coria-Cáceres e Plasencia e o Ecónomo de Plasencia, sendo que D. Ernesto Brotóns Tena, Bispo de Plasencia, não pode participar por estar convalescente.

O Encontro começou com um momento de oração na igreja de Santa Luzia, onde a comitiva foi acolhida pelo Pároco, P. Ricardo Lameira.

Depois, os trabalhos contaram com a partilha de cada Prelado que apresentou a realidade da respectiva Diocese no âmbito Pastoral e Social, tendo sido também tratada a Pastoral Vocacional. Foi ainda abordada a possibilidade de futuramente surgirem programas e projectos a nível espiritual, religioso e patrimonial de âmbito transfronteiriço entre as duas Províncias Eclesiásticas.

O Encontro terminou com um almoço-convívio, em clima de fraternidade, na Quinta de São João, onde a comitiva foi recebida pelo P. Nuno, responsável pela Comunidade Mater Dei, que ali reside.

O segundo Encontro das Províncias Eclesiásticas de Évora e de Mérida-Badajoz está agendado para o dia 6 de Maio de 2025, a realizar-se na cidade de Mérida (Espanha).