Etiqueta: Clero

14 Mai 2024

Arcebispo de Évora celebrou Eucaristia com os Sacerdotes que habitam a Casa Sacerdotal em Vila Viçosa (com fotos)

O Arcebispo de Évora visitou o Seminário de São José, em Vila Viçosa, no dia 13 de maio, onde celebrou a Eucaristia com os Sacerdotes que habitam a Casa Sacerdotal sedeada naquele Seminário.
O edifício do Seminário de São José de Vila Viçosa está aos cuidados da Comunidade Católica Sementes do Verbo (Associação Privada de Fiéis).
28 Abr 2024

Arcebispo de Évora recebeu o Cardeal D. Américo no Santuário de Nossa Senhora D’Aires (com fotos)

Na manhã deste domingo, 28 de abril, o Arcebispo de Évora, D. Francisco Senra Coelho recebeu o Cardeal D. Américo Aguiar, Bispo de Setúbal, no Santuário de Nossa Senhora D’ Aires.

Depois, o Bispo de Setúbal presidiu à Missa solene da Romaria a Cavalo, celebrada naquele Santuário. Perante os romeiros e os peregrinos da vila, o Prelado desafiou a que “cada um de vós saia desta peregrinação com vontade de ser melhor pessoa”. “Não vale a pena peregrinar, seja onde for, se for para regressar a casa iguais ao que éramos quando saímos”, referiu D. Américo Aguiar.

Após as celebrações, em mensagem dirigida ao Bispo de Setúbal, o Arcebispo de Évora escreveu: “em meu nome pessoal e da Arquidiocese de Évora, agradeço a sua presença no multissecular Santuário de Nossa Senhora de Aires, num oportuno abraço entre as Igrejas Irmãs de Setúbal e Évora”.

“É grande a alegria e esperança pela mensagem ali entregue ao Santo Povo de Deus. Bem Haja!”, sublinhou o Prelado eborense na mensagem de agradecimento enviada ao Cardeal D. Américo Aguiar.

Recorde-se que a Romaria a Cavalo ligou os concelhos de Moita a Viana do Alentejo, tendo juntado centenas de romeiros oriundos de vários pontos do país, num percurso de cerca de 150 quilómetros, em caminhos de terra batida. A Romaria a Cavalo, já na sua 22ª edição, foi uma organização conjunta das câmaras municipais de Moita e de Viana do Alentejo e das associações dos Romeiros da Tradição Moitense e Equestre de Viana do Alentejo.

26 Abr 2024

Votos Solenes do sacerdote jesuíta, P. Fernando Ribeiro foram celebrados em Évora (com fotos)

No dia 20 de abril, na Igreja do Espírito Santo, em Évora, o Arcebispo de Évora presidiu à Eucaristia na qual foram celebrados os Votos Solenes do P. Fernando Ribeiro, sacerdote jesuíta. Estes foram os seus últimos votos na Companhia de Jesus. Concelebraram o Arcebispo de Évora emérito, D. José Alves, o Provincial dos Jesuítas em Portugal, P. Miguel Almeida, e cerca de três dezenas de sacerdotes. O Provincial dos Jesuítas proferiu a homilia.

A Eucaristia, que contou com uma participação significativa de fiéis, terminou com as palavras de agradecimento do P. Miguel Gonçalves Ferreira, sj.

Depois uma comprovada maturidade jesuítica, os sacerdotes da Companhia de Jesus são convidados a dedicarem um ano de aprofundamento vocacional à luz do carisma fundacional de Santo Inácio de Loiola. No caso concreto do P. Fernando Ribeiro, este ano foi passado no Líbano, onde compartilhou grandes vivências de proximidade com o povo libanês e com os cristãos daquele país na expressão dos seus vários ritos. Após este ano são celebrados os Votos Solenes.

Os Votos Solenes são quatro: pobreza, obediência, castidade e inteira disponibilidade para obedecer aos pedidos do Papa referente à missionação, fazendo tudo para que os pedidos pontifícios se cumpram, levando o Evangelho até onde o Papa indicar.

Depois da Eucaristia, seguiu-se um convívio na residência da comunidade jesuíta de Évora, na Quinta de Valbom.

O P. Fernando Ribeiro, sj, nasceu em 1971, em Ribeirão – V. N. de Famalicão. Estudou Engenharia Agrícola e foi “Leigo para o Desenvolvimento” antes de entrar na Companhia de Jesus. Como jesuíta licenciou-se em filosofia e teologia e é mestre em teologia moral e migrações internacionais. Atualmente reside na comunidade do Monte da Caparica e é diretor adjunto do Serviço dos Jesuítas aos Refugiados (JRS).

24 Abr 2024

Évora despediu-se emocionada e agradecida do sacerdote jesuíta, P. José Maria Brito

“É com enorme pesar e consternação, mas também com imensa gratidão por tanto bem recebido através da sua vida, que a Província Portuguesa da Companhia de Jesus informa que morreu esta tarde o P. José Maria Brito”, assim começava a notícia publicada no site Ponto SJ, ao final do dia da passada segunda-feira, 22 de abril.

Aos 48 anos, o P. José Maria estava na comunidade dos jesuítas de Évora, onde sofreu no domingo, dia 21 de abril, um AVC despoletado por vários tumores que desconhecia.
Fundador do Ponto SJ, que dirigiu com enorme entusiasmo e espírito de missão, estava há um ano e meio a viver na comunidade dos jesuítas em Évora. Aqui colaborava ativamente com a Arquidiocese na equipa da Pastoral Familiar e com o Casarão, centro universitário da Arquidiocese. Era assistente regional da Comunidade de Vida Cristã (CVX)- Além Tejo e também presidente da Fundação Gonçalo da Silveira.

O velório do P. José Maria ocorreu na manhã de 23 de abril, a partir das 10h30 na Igreja do Espírito Santo, onde houve missa às 12h30, presidida pelo Arcebispo de Évora e concelebrada pelo Arcebispo de Évora emérito, pelo Bispo de Setúbal e pelo Provincial dos Jesuítas em Portugal, assim como muitos sacerdotes diocesanos e jesuítas.

Uma Igreja do Espírito Santo completamente lotada, ouviu na introdução da Eucaristia, D. Francisco Senra Coelho, unido à sua mãe, D. Domingas e ao seu irmão, à Companhia de Jesus e à comunidade da Igreja do Espírito Santo de Évora, sublinhar que “queremos sentir a alegria de ter tido entre nós o P. José Maria, não esquecendo nunca a beleza da sua dádiva, do seu sorriso, do seu olhar, da sua voz, do seu testemunho de vida, desprendido e dedicado à maneira do Bom Pastor”.

À homilia, o P. Miguel Almeida, provincial dos Jesuítas em Portugal, disse que conhecer e conviver com o P. José Maria era “passar do caos à profundidade”. “Ele era o que era. Era a transparência total”, sublinhou, destacando que o P. José Maria “interessava-se mesmo pelo próximo. Escutava verdadeiramente”. “A injustiça e a mentira tiravam-no do sério”, acrescentou o Provincial, sublinhando que “o P. José Maria foi no mundo um pouquinho do que Jesus foi. O bem era o motor da sua vida, o bem dos outros era o seu motor. O P. José Maria era uma pessoa boa, o resto era consequência! Morreu no dia de Nossa Senhora, mãe da companhia de Jesus. Foi muito feliz em Évora, era um jesuíta feliz. Vai-nos fazer muita falta”. “A presença de tantos padres, bispos e pessoas é expressão da dimensão eclesial da sua vida”, concluiu o P. Miguel Almeida, sj.

Na oração dos fiéis e no final da Eucaristia, membros de vários grupos dos Jesuítas e da Arquidiocese, que o P. José Maria acompanhava, deixaram o seu testemunho emocionado e agradecido.

O cortejo fúnebre seguiu depois para o Porto onde foi celebrada missa na igreja de Cedofeita. As exéquias serão nesta quarta-feira, 24 de abril, às 14h00, na mesma igreja, de onde partirá o corpo para o cemitério do Prado do Repouso, no Porto.

 

22 Abr 2024

Bodas de Ouro Sacerdotais do Cón. Manuel da Silva Ferreira celebradas em Évora (com vídeo e com fotos)

19 Abr 2024

Proteção de menores e de adultos vulneráveis: “Sinto que há de facto da parte da Igreja em Portugal uma genuína vontade e motivação para mudar, para reparar o mal que foi feito e para prevenir outras situações”(com fotos)

No dia 16 de abril, entre as 10h e as 17h, no Seminário Maior de Évora decorreu uma ação de sensibilização e formação para presbíteros no âmbito da proteção e segurança de menores e de adultos vulneráveis, promovida pela Arquidiocese de Évora, sob a orientação do Grupo VITA.

Com a participação do Arcebispo de Évora, de praticamente todo o Clero da Arquidiocese de Évora, das Vogais da Comissão Arquidiocesana de Proteção de Menores e Adultos Vulneráveis, Ana Isabel de Barahona e Alice Caldeira Cabral, a ação de formação foi orientada pela Coordenadora do Grupo VITA, Rute Agulhas, com a colaboração de Alexandra Anciães, do Grupo Executivo do VITA.

Ainda no dia 16 de abril, entre as 19h e as 22h, decorreu nova ação de sensibilização e formação para diáconos permanentes.

Estas ações na Arquidiocese de Évora são as primeiras de um Roteiro pelas Dioceses do país que o Grupo VITA definiu como um dos objetivos a realizar em 2024.

Em declarações exclusivas à reportagem de “a defesa”, Rute Agulhas explicou que “com estas ações o Grupo VITA procura um contacto de maior proximidade que permita um diagnóstico mais rigoroso das necessidades de cada território”.

“A Arquidiocese de Évora foi a primeira a dizer que gostaria de receber esta formação”

“A Arquidiocese de Évora foi a primeira a dizer que gostaria de receber esta formação. Portanto, começamos exatamente hoje aqui em Évora e vamos continuar depois em alguns sábados com a formação não só a padres e diáconos mas também a agentes pastorais e elementos das IPSS”, revelou a coordenadora do Grupo VITA.

“O objetivo deste roteiro é estabelecermos aqui uma relação de maior proximidade com cada diocese. Cada diocese tem a sua realidade, claro que há problemas que são transversais, há questões que são comuns aos vários territórios mas depois há questões que são muito particulares e muito únicas de cada diocese. E nós queremos auscultar isso, queremos ouvir, queremos perceber melhor, também para perceber que medidas eventualmente podem vir a ser definidas em função das necessidades específicas de cada diocese”, explicou Rute Agulhas.

“Naturalmente vimos transmitir alguns conhecimentos e algumas partilhas, mas acima de tudo queremos auscultar e queremos escutar que necessidades têm, que dificuldades sentem, com que situações é que já se depararam ou não. Nós temos uma realidade muito assimétrica no país, na zona norte temos uma prevalência de casos muito maior do que aqui na zona sul e, portanto, é natural que todos os elementos, por exemplo, nesta diocese em concreto, possam pensar até com alguma apreensão: e se vier uma vítima, como é que vai ser a minha primeira vítima. Portanto, há aqui todo um percurso também a ser feito e queremos perceber um bocadinho como é que os podemos ajudar e também como é que eles nos podem ajudar enquanto Grupo VITA a fazer melhor aquela que é a nossa missão”, sublinhou a Coordenadora do Grupo VITA.

“O grande objetivo não pode ser só olhar para o passado, reparar aquilo que já foi feito, as vítimas que já são vítimas, mas é também olhar para o presente, o que é que pode ser feito hoje e o que é que pode ser prevenido amanhã. E, portanto, é muito nesta perspetiva também de prevenção futura que nós estamos aqui focados e não apenas a tentar remediar aquilo que já aconteceu”, apontou Rute Agulhas.

Como balanço de quase um ano de trabalho do Grupo VITA, a Coordenadora sublinhou que “temos vindo a percorrer um caminho de nos darmos a conhecer e neste momento já temos metas traçadas. Sentimos da parte todas as estruturas, sejam as dioceses, sejam os diversos Institutos de vida consagrada, uma disponibilidade e uma receptividade muito grande mesmo. Portanto, sinto que há de facto da parte da Igreja em Portugal uma genuína vontade e motivação para mudar, para reparar o mal que foi feito e para prevenir outras situações”.


“Evidentemente, que é fundamental prevenir”

Já o Arcebispo de Évora, D. Francisco José Senra Coelho, nas palavras de abertura que dirigiu aos presbíteros sublinhou a importância da prevenção. “Evidentemente, que é fundamental prevenir”, disse o Prelado, acrescentando que “a prevenção é fundamental para construirmos uma Igreja segura. Por isso, somos chamados a sinalizar a sociedade em que vivemos com propostas de segurança para todos, nomeadamente para as crianças e para os adultos vulneráveis”.

“Esta iniciativa, focada no âmbito eclesial, tem por objectivo solidificar a vontade que todos compartilhamos de revelar um novo rosto de Igreja com tolerância zero face a qualquer tipo de abuso”, disse.

“O programa pastoral da nossa Arquidiocese desafia-nos a ‘revelar um novo rosto de Comunidade’ no qual se perceba a beleza da sinodalidade. Assim numa responsabilidade proativa desejamos refletir com os presbíteros sobre a nossa missão de construir comunidades interactivas na defesa da segurança para todos, percebermos em presbitério novos caminhos de formação e prevenção com vista a que todos possam confiar na Igreja; Caminhos de apoio, compensação e reparação das vítimas que estão sempre no centro das nossas preocupações; Cuidar da própria segurança dos sacerdotes face às crescentes exigências de transparência, verdade e respeito”.

Entretanto, a Arquidiocese de Évora, sob a orientação do Grupo VITA, promoverá ainda as seguintes ações de sensibilização e formação nos dias: 4 de maio e 15 de junho – para Agentes Pastorais; 3 e 8 de junho – para funcionários das Instituições Particulares de Solidariedade Social da Arquidiocese de Évora.

Reportagem de Pedro Miguel Conceição
04 Abr 2024

Abril e Maio: Visita Pascal na Unidade Pastoral de Mora (com Vídeo)

O Concelho de Mora volta a viver por estes dias a “nova” tradição da Visita Pascal. Sabemos que a Visita Pascal é uma tradição secular nas zonas Norte e Centro do país, mas quase inexistente no Sul. No entanto, agora já não é inexistente porque realiza-se nas Comunidades de Mora. Tudo começou com a chegada do P. Nelson Fernandes, natural do Minho, àquelas Comunidades, em 2017.
De ano para ano aumentam o número de casas e de instituições visitadas, confirma o jovem sacerdote em entrevista exclusiva a Ser Igreja Évora que pode ser vista em vídeo nos canais digitais da Arquidiocese. “O ano passado conseguimos ir pela primeira vez aos Bombeiros (na foto) e aos Paços do Concelho, sendo que no ano anterior já tínhamos também visitado a Junta de Freguesia”, sublinha o Pároco, acrescentando que “este ano, como novidade, a Visita Pascal irá a um Hotel que foi remodelado no Concelho e também será recebida no Posto da GNR – Guarda Nacional Republicana”.

“Esta «Visita Pascal» é em tudo igual ao Norte do país, mas com uma diferença: é realizada em todos os domingos do tempo pascal (50 dias)… o que permite que as Comunidades compreendam que a Páscoa só termina com a solenidade do Pentecostes”, explica o P. Nelson Fernandes.

A primeira Visita Pascal de 2024 está agendada para o dia 7 de abril, domingo, na Vila de Mora (é o maior compasso), onde no dia 14 de abril acontecerá novamente. Ainda no dia 7 de abril, a Visita Pascal realiza-se também na Paróquia de Cabeção.

No dia 21 de abril, a Visita Pascal será em Brotas, e a 28 de abril, em Pavia.

O compasso, na Comunidade de Malarranha, deverá realizar-se no dia 12 de maio.

Neste ano, a Comunidade de Santa Justa também receberá a Visita Pascal, agendada para 19 de maio.